Etiquetas

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

O CASAMENTO DE ARNOLFINI, de Jan Van Eyck


Este pequeno duplo retrato de corpo inteiro regista não apenas um casal trocando votos de casamento, mas também o interior de uma casa de um abastado mercador de Bruges no início do século XV.
Sabemos que o artista testemunhou a união deste casal através da inscrição em latim Johannes van eyck fuit hic 1434 (Jan Van Eyck esteve aqui em 1434) na parede do fundo.
O artista pintou objetos do dia-a-dia com uma precisão tão espantosa que até o espelho convexo reflete a sala e os visitantes que entram.
A pintura pode ser considerada como uma alegoria do casamento ideal. A prosperidade abunda – as janelas com vidros, os tecidos cor de laranja e o vestuário orlado de peles, o espelho decorado com cenas da Paixão de Cristo, a cabeceira da cama entalhada, as tapeçarias ricas  e o tapete são tudo evidências do êxito deste mercador. Tudo aponta para um casamento feliz – o cão fiel entre eles, a limpeza do quarto, o rosário pendurado na parede, o gesto de aceitação do noivo, a cabeça da noiva inclinada com modéstia e a expectativa da criança que há-de vir, a qual deverá nascer na confortável cama do casal sob os auspícios da imagem de Santa Margarida – santa padroeira do parto.

Além dos noivos, são de destacar mais dois elementos: o cão e o casamento. Ao cão são atribuídas muitas qualidades, nas artes. Criatura de fidelidade e lealdade, ele é representado em túmulos medievais aos pés dos seus donos e em retratos que representam qualidades semelhantes. Também podem ter o papel de guardiões. Certos pintores usam-nos para exprimir o desejo carnal ou para significar a ganância, como na fábula do cão que, com um bolo nos dentes, olha para a água e perde o bolo numa tentativa de captar o seu reflexo. Um cão é atributo de São Roque e os cães pretos e brancos nas cenas com dominicanos são, num trocadilho com o nome da ordem, representados domini canes (cães do senhor); podem ser vistos a caçar lobos, que representam os heréticos.

Outro elemento é o casamento, que é um dos sete sacramentos da igreja católica. O casamento ideal é por vezes representado pelo da Virgem e José. A fidelidade no matrimónio é muitas vezes simbolizada por uma personificação da fé – uma das Três Virtudes Teologais – que pode ter na mão um livro, uma vela acesa e um coração, uma cruz ou um cálice.   

1 comentário: